Notícias
Untitled-2 03mar

Ubiratan Félix, ministra palestra na Unijorge

IMG_3086Assessoria de Comunicação

Fernanda Lima

A pedido do DA de Engenharia de Petróleo,Ubiratan Félix, presidente do Senge Bahia, na noite de ontem (02/03/2015) ministrou um palestra sobre o mercado de trabalho atual para os estudantes de Engenharia da Unijorge.  O DA que foi formado em Setembro de 2015, mesmo sem nenhum apoio, luta por melhoria no curso de Petróleo e Gás. Desde sua criação o DA de Engenharia de Petróleo já organizou mais de dez palestras e uma visita técnica a halliburton, essa gestão mostra estar organizada e preparada para o ano de 2016, tanto que já tem projetos para novas palestras e visitas técnicas agendadas para este primeiro semestre.

Em um auditório lotado, Ubiratan enfatizou as causas da crise econômica  brasileira, como por exemplo o Fim do ciclo de supervalorização das commodites (produtos não elaborados) que permitiu aos países periféricos, inclusive o Brasil, pudesse auferir lucros e financiar as políticas de cunho social e distributivista e a política de congelamento dos preços da gasolina e diesel que obrigou a Petrobrás a ter prejuízo e aumentou o seu endividamento. Esta politica subsidiou a indústria automobilística que remeteu vultosos lucros para suas matrizes. Afirma o presidente.

Diego - Estudante de Engenharia Civil

Diego – Estudante de Engenharia Civil

Os alunos foram super participativos e fizeram diversas perguntas, como o estudante de engenharia Civil, Diego. ” É possível existir um mercado à longo prazo para habitações populares sem a dependência do governo? E você acha que as universidades deveriam formar engenheiros empreendedores? ” perguntou. Ubiratan afirmou que existe uma grande oportunidade nas periferias da cidade, para ele o engenheiro deve pensar novos modelos de negocio, um exemplo são as reformas, que em sua visão é uma grande oportunidade para o mercado atual.

Rosilene Leite - Secretária do Diretório Acadêmico de Engenharia Civil

Rosilene Leite – Secretária do Diretório Acadêmico de Engenharia Civil

O curso de engenharia Civil ganhou no final do ano passado o seu primeiro Diretório Acadêmico, a gestão com o nome de Construir, tem como objetivo lutar pelos direitos dos alunos e buscar melhorias no curso. Rosilene Leite, secretária do Diretório Acadêmico explicou sobre qual é o enfoque dessa chapa e o que pretendem para 2016. Veja a entrevista:

SENGE/BA: Quais são as principais metas para o ano de 2016?

Rosilene Leite: As principais metas agora, é construir um melhor relacionamento com a coordenação da Unijorge, a partir disto, desenvolver estudo de viabilidade para expandir a quantidade de laboratórios que possuímos para Engenharia Civil. Temos apenas um laboratório de construção civil e um de geologia que é pouco usado.

SENGE/BA: Este é o primeiro grupo a compor um Diretório Acadêmico de Engenharia Civil na Unijorge. Quais são as principais dificuldades em começar do zero? E qual a importância do D.A para os alunos?

Rosilene Leite: Começar do zero, é um grande desafio. Os alunos não tem uma confiabilidade no nosso trabalho, então estamos fazendo uma política de interação com os alunos. Indo de sala em sala para apresentar os nossos projetos e mostrar que estaremos sempre presente. O nosso maior desafio é  o aluno. O D.A é importante para que os alunos tenham eventos como este e uma visão política do aluno como um futuro profissional. Temos que entender quais são os nossos direitos e como podemos ampliar nossos conhecimentos, através de uma visita técnica , debates e outros meios.

 

Voltar para notícias