Notícias
estudante publico 21jul

I Congresso do SENGE Estudante: veja como foi

estudante fila

Quem participou do I Congresso do SENGE Estudante Bahia, realizado nos dias 17 e 18 de julho, no campus da UEFS, em Feira de Santana, pôde aproveitar bons momentos de reflexão e discussão sobre o papel da engenharia no Brasil. O evento reuniu cerca de 300 estudantes de engenharia de várias universidades da capital e do interior do estado com representantes da anfitriã UEFS, da UFBA, UFRB, Unifacs, Ucsal, AGES, Dom Luís de Orleans e Bragança, entre outras, além de observadores do estado de Sergipe.

ESTUDANTE bira

Ubiratan Félix, presidente do SENGE BA

 

O presidente do Sindicato dos Engenheiros da Bahia, o engº civil Ubiratan Félix abriu o evento com uma apresentação  sobre as funções e importância do SENGE, enfatizando a diferença entre o sindicato, o CREA e as associações de classe. Logo em seguida, os membros da diretoria do SENGE Estudante apresentaram o programa e os objetivos do congresso: ouvir as demandas dos estudantes, eleger representantes oriundos das faculdades ali presentes e definir as diretrizes do programa.

Apresentação do SENGE Estudante

Apresentação do SENGE Estudante

Mais tarde, todos assistiram à palestra sobre o tema da regulamentação profissional. O engº agrônomo Fábio Barros, analista técnico do CREA-BA, foi representando a entidade e explicou de que forma ela preza pelo bom exercício da profissão, fiscalizando e coibindo a prática da engenharia por leigos ou profissionais não qualificados. Ele lembrou a importância dos alunos verificarem se sua faculdade está cadastrada no CREA – esse cadastro é essencial para que, ao final do curso, os recém formados possam solicitar seu registro profissional, sem o qual não podem exercer legalmente suas funções. Outro tema do primeiro dia do congresso foi “Lei do estágio”, palestra ministrada pela advogada Drª Nadjara Lima Régis, que explicou os principais pontos da lei nº 11.788/2008, que determina as regras para o estágio de estudantes. Direito a férias e limite da carga horária foram alguns dos assuntos abordados.

Nadjara Lima Régis fala sobre lei do estágio

Nadjara Lima Régis fala sobre lei do estágio

O segundo dia do Congresso começou com palestras sobre “Ensino da Engenharia”. O engº químico Ricardo Kalid, professor da Universidade Federal do Sul da Bahia – UFSB explicou o novo modelo de universidade que a instituição representa, com foco nos bacharelados interdisciplinares, formação por ciclos e articulação com a educação básica, através dos colégios universitários. Já o engº civil Luís Campos, professor da escola politécnica da UFBA, falou sobre as necessidades e o perfil da formação dos engenheiros. Durante todas as palestras, os estudantes participaram com perguntas e depoimentos.

Ricardo Kalid, Luís Campos e Márcia Nori, vice presidente do SENGE BA

Ricardo Kalid, Luís Campos e Márcia Nori, vice presidente do SENGE BA

Por fim, os presentes foram divididos em grupos para discutir e propor ações para o SENGE Estudante realizar durante o ano. Ideias de encontros, produção de cartilhas e seminários via web foram votadas e aprovadas. Também foi eleito um representante do programa para cada faculdade, cuja responsabilidade é levar aos colegas as ideias debatidas no congresso e articular para que as ações propostas sejam cumpridas.

A equipe organizadora

A equipe organizadora

*UPDATE: Veja mais fotos na página do Facebook

Voltar para notícias