Notícias
40389363_910138799110158_7625389549836828672_n 31ago

Trabalhadores (as) da Embasa fazem manifestação contra medida que privatiza a água

Empregados (as) da Embasa e representantes dos movimentos sindical e popular participaram hoje (dia 30), pela manhã, no Rio Vermelho, da manifestação contra a Medida Provisória 844 que tramita no Senado Federal e que tem como objetivo pressionar pela privatização das estatais do saneamento básico. O ato integrou o Dia Nacional de Mobilização e Luta contra essa medida, que também está sendo chamada de “MP da Sede”, pois a privatização dos serviços levará ao aumento de tarifas e à exclusão da parcela mais pobre da população do acesso à água e ao esgotamento sanitário.

A manifestação aconteceu em frente à estação da Embasa no Rio Vermelho e foi promovida pelo Sindicato dos Trabalhadores em Água, Esgoto e Meio Ambiente da Bahia (Sindae). Ela também teve a participação de dirigentes dos Sindicatos dos Petroleiros e dos Engenheiros, do Observatório do Saneamento Básico, do Levante Popular da Juventude e da Frente Brasil Popular.

Todos destacaram que o governo federal tem adotado medidas criminosas para dilapidação do patrimônio nacional, como a entrega dos serviços de água, energia, petróleo, florestas, terras e recursos minerais para a iniciativa privada, especialmente grupos estrangeiros. No caso da água, dirigentes do Sindae disseram que onde o serviço foi privatizado a tarifa aumentou abusivamente e que, no mundo inteiro, ao contrário do Brasil, o movimento atual é de retomada dos serviços de água da iniciativa privada pelo poder público, tal é a quantidade de problemas decorrentes da privatização.

Lembraram, ainda, que na Bahia já foi tentada mais de uma vez a venda da Embasa para empresários, mas o governo não teve sucesso diante da reação popular. Mas tem gestores municipais que desejam tomar da estatal e entregar para a iniciativa privada os serviços de saneamento, como ocorre agora em alguns municípios do Extremo Sul. Também é o caso de Salvador, onde o prefeito ACM Neto luta para privatizar e não assina a renovação do contrato de programa entre a Prefeitura e a Embasa, contrato este já aprovado pelos vereadores.

Fonte: Sindae-BA

Foto: Didica Vasconcelos

Voltar para notícias